Prazo para entrada em vigor da LGPD
0

O retorno do investimento (ROI) do Legal Design

Com a crise causada pela COVID-19, os departamentos jurídicos estão no centro da tomada de decisões estratégicas que visam reduzir os custos das empresas, apoiando em situações que vão desde a renegociação de contratos sobre o retorno de investimento. Até a implementação de medidas trabalhistas como redução de jornada e salários, antecipação de férias, suspensão de contratos de trabalho e até mesmo desligamento de colaboradores.

No entanto, o que fazer quando o departamento jurídico entra na lista de redução de despesas?

Sabemos que a redução do “headcount” pode parecer a solução mais fácil em um primeiro momento, mas também pode ser a mais dolorosa no futuro. Além de perder um talento que já conhece a empresa, o tempo de recrutamento e seleção pode não acompanhar a retomada das atividades e colocar o departamento em dificuldades e até em risco de colapso.

Embora seja uma metodologia nova, o Legal Design já está sendo considerado por muitos dos melhores gestores de departamento jurídico como uma forma eficiente de fazer com que a área ajude na redução de custos, em muitos casos, passe a contribuir para o resultado da empresa.

 

Porque o investimento em Legal Design pode dar ótimos retornos de investimentos?

Como uma metodologia que aplica as técnicas do design centrado no ser humano ao campo do direito, o Legal Design não só ajuda o departamento jurídico a inovar na sua forma de fornecer seus serviços (orientação jurídica), como também identifica a melhor forma a ser utilizada, de acordo com o usuário final de tais serviços.

Dessa forma, a depender do projeto, o retorno do investimento pode ser:

 

Produtividade: Soluções que facilitam o trabalho dos advogados do departamento jurídico ajudam a economizar tempo que pode ser dedicado a outras atividades mais complexas e estratégicas. Um exemplo de Legal Design que pode ser classificado nessa situação é a implementação de um chatbot que responde as perguntas mais frequentes feitas pelos colaboradores de outras áreas da empresa. Ele não apenas retira essa atividade repetitiva dos advogados, como também é mais ágil para o solicitante, uma vez que os e-mails costumam ficar dias ou semanas aguardando por uma resposta.

 

Transparência: Soluções que facilitam enxergar e entender o que está acontecendo ajudam o departamento jurídico a tomar decisões mais inteligentes. Um exemplo de solução de Legal Design nesse sentido é a aplicação da análise de dados às ações judiciais da empresa, também conhecido como jurimetria, verifica estatisticamente o que está acontecendo e permite pensar estrategicamente sobre os melhores caminhos a seguir.

 

Segurança: Soluções que aumentam a segurança ajudam o departamento jurídico a contribuir para o aumento da confiança na empresa. Um caso de sucesso de solução feita com base no Legal Design com esse efeito é a construção de um canal de resolução amigável de conflitos, como o “Compra Garantida” do Mercado Livre, que reduziu significativamente o número de ações judiciais contra a empresa e aumentou a confiança dos compradores em seu marketplace.

 

Experiência do usuário: Soluções que tornam a experiência jurídica mais amigável ajudam a melhorar e fortalecer os relacionamentos da empresa com clientes, colaboradores, parceiros e fornecedores. Um excelente exemplo de solução em Legal Design para essa finalidade é o uso de uma política de privacidade ilustrada ou em vídeo animado, clara, objetiva e sem jargões do direito (o “juridiquês”). Com a entrada em vigor da LGPD e as obrigações referentes aos direitos dos titulares, essa é uma excelente forma de tornar a experiência mais amigável.

 

Engajamento: Soluções que buscam aumentar a participação ajudam a garantir o cumprimento das regras. Criar treinamentos a respeito das políticas internas, porém usando gameficação, é uma ótima solução de Legal Design para os times de compliance que não conseguem fazer com que os colaboradores da empresa conheçam, compreendam e se engajem com as regras da empresa.

 

Retenção: Soluções que colocam o usuário no centro ajudam o departamento jurídico a contribuir com a retenção de clientes para a empresa. Para esse caso, o exemplo de Legal Design que podemos mencionar é a facilitação do processo de contratação. O uso de plataforma digitais, assinatura eletrônica e até o uso de contratos autoexecutáveis (smart contracts) atraem clientes que buscam menos burocracia, como os do serviço de locação de imóveis Quinto Andar.

 

Alcance de objetivos: Soluções que auxiliam a pessoa a ver suas tarefas realizadas com sucesso ajudam a encantar o cliente. Por fim, uma solução de Legal Design que auxilia o usuário a realizar suas tarefas e ter sucesso no alcance de seu objetivo são as plataformas de “document assembly”. Se as áreas da empresa conseguirem criar seus próprios contratos, usando cláusulas pré-aprovadas pelo jurídico, com agilidade e segurança, eles ficarão tão satisfeitos que investirão parte desse tempo para escrever um e-mail elogiando os advogados da empresa.

 

Conclusão

Como se pode ver, o Legal Design não apenas apresenta um excelente retorno do investimento que nele é feito, como também destaca o departamento jurídico como uma área que pode contribuir, direta e indiretamente, para o resultado financeiro da empresa.

Casos de sucesso como os mencionados acima só foram possíveis porque obtiveram o apoio de departamentos jurídicos modernos, arrojados e inteligentes que, utilizando o Legal Design e colocando o usuário no centro, ajudaram a empresa a desenvolver um diferencial competitivo único.

E, por essas e outras razões, que esses cases são apresentados na maioria dos eventos relacionados à inovação na área jurídica como exemplos de sucesso.

Para saber mais sobre o retorno de investimento

Se você quiser saber mais sobre Legal Design, tanto para o desenvolvimento de alguma solução que você tenha em mente ou para algum desafio que esteja enfrentando no momento, até a contratação de um treinamento para você ou sua equipe, nossos especialistas estão à disposição.

 

Autor: Mauro Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
Olá, PK Advogados. Gostaria de ser contatado por vocês, por favor. Obrigado!